1.

estranho se permitir ficar olhando
as migalhas do pão de fôrma tostado
que restaram sob o prato que você
guarda há anos para comer de pé
quando está sozinho em casa
pouco ligando para o calor do brasil

estranho quando chega o dia
no qual o seu maior desencanto vira
um tipo de corridinha de pré-aquecimento
uma risada que te acomete
quando você está na hora mais triste do dia
que é o final de tarde

estranho quando as memórias viram
seu professor particular (sem horário)
uma pessoa que a cada encontro
recomeça sempre da mesma lição
de rolar no tatame
e só depois derrubar o adversário

2.

acho bom e na verdade acho ótimo
que haja essa minha chance
tão jardim e tão caminhar ao vento
que é levantar do meu quarto de trabalho
e percorrer o apartamento
achando que não vou te encontrar

mas encontro

.

erra feio o poema
quando fala que pessoas
são feitas de coração
pessoas são feitas
de cabeças nascidas
sem os olhos
cercadas por pecinhas
de lego procurando
boa trepada e também
pelo temor de existir

erra feio o poema
quando fala e não é bolha
queimando (e sugando)
para dentro
do seu brilho de água e
sabão toda a escuridão
que o dó e a imensa calma
dos técnicos e doutores
geminam
nas durações do roubo

enquanto chamam de alma

.

desde vinte e dois de agosto de dois mil e três

.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 52 outros seguidores